Esparrela

Luis de Matos - Thursday, August 16, 2012 - Comentários (5)

Não sou jornalista. Tão somente fui convidado para neste espaço partilhar ideias e dar opiniões. É nessa condição que esta semana tenho que dizer que, “na minha opinião”, esta publicação caiu numa armadilha que, a avaliar pelo artigo assinado por Maria Ferreira Santos, também terá envolvido a Universidade de Coimbra na alegada capacidade de algumas pessoas  comunicarem com os mortos. A história repete-se ao longo dos tempos. Porém, nos dias de hoje, seria de esperar acrescido rigor e critério quando falamos de uma área que, de forma igualmente cíclica, se consubstancia numa sequência de fraudes, ou simples erros de análise, que, de tão ingénuos, roçam o patético.

O título da capa dizia que “cientistas desvendam a mente dos médiuns”. Tendo em conta que até hoje não foi publicado nenhum estudo científico em que qualquer braço de qualquer ramo da ciência aceitasse a condição de “médium” tal como a cultura popular a define, pode dizer-se que a frase é tão estranha como estranhas seriam as afirmações do tipo “cientistas desvendam sistema linfático do rato mickey” ou mesmo “cientistas desvendam a real origem dos poderes do super-herói Batman”. A ciência é um lento e laborioso caminho em direcção ao conhecimento, em que dar saltos como quem põe “sal a gosto” não é uma opção. A ciência não dá por assumidos factos tão simplesmente porque a cultura popular, ou alguns que ainda não perceberam o respeito que devem ao rigor do método científico, assim lhes apraz ditar.

Produzir conhecimento científico, seja ele novo ou fruto de uma interacção, passa por um conjunto de regras básicas que não podem ser atropeladas com retórica e imaginação popular. Crenças e religiões não convivem bem com o “método científico”, tendo mesmo, em termos históricos, grandes dificuldades em interagir. A dúvida sistemática e a decomposição do problema em pequenas partes definem a base da pesquisa científica. É preciso primeiro compreender cada elemento, perceber como interagem entre si, para então compreender o todo.

Não sei se o problema está nos alegados cientistas ou na forma como a peça foi elaborada. O que sim sei é que o texto que fez capa na passada edição pode levar a que milhares alimentem uma fantasia que ciclicamente ao longo da história atrai as atenções e de seguida cai no ridículo. Para que rapidamente duvidemos do relato basta olhar para a linha do tempo que ilustra a peça numa tentativa desesperada de fazer acreditar na idoneidade dos elementos. Essa linha do tempo refere como verdadeiros factos que há muito foram catalogados como fraudes quase patéticas, incluindo referências a pessoas ou fenómenos tomados como verdadeiros no momento em que surgiram mas que há séculos foram desmascarados como fraude. A fotografia espírita, por exemplo, foi acidentalmente descoberta em meados do Sec. XIX por William H. Mumler, joalheiro e fotógrafo que, depois de um engano de “dupla exposição” na câmara escura, percebeu que ganharia mais dinheiro e fama se passasse a anunciar-se como médium e demonstrasse ser capaz de revelar em foto impressa a presença de espíritos em redor de humanos.

Mas quem verdadeiramente tiver cusiosidade em entender o mundo da fraude mediúnica, em grande parte não intencional e tão somente popular e viral, não pode deixar de ler as confissões de M. Lamar Keene que, depois de 13 anos de internacionalmente reputado médium, lhe valeram perseguições e tentativas de assassinato após a publicação do revelador livro intitulado “The Psychic Mafia”. Basta seguir o código abaixo e ter acesso ao PDF...

“Ciência onde os resultados são fruto da imaginação não é ciência...”

Comentários (5)
André Afonso commented on 28-Oct-2012 09:49 AM
Olá Luís de Matos,

O artigo que V. refere foi retirado do site do jornal e não o encontro em lado algum. Tenho a revista em papel e nunca o vi publicado na íntegra na Internet. É pena. Assim fica apenas a sua resposta.

O Luís está profundamente desinformado. Não é por um fenómeno poder ser fraudado que todos os fenómenos aparentemente iguais são necessariamente fraudes. Muitos cientistas de gabarito estudaram e estudam fenómenos paranormais, e concluem que são reais. Entre eles avultam dois prémios Nobel.

Não é também porque um fenómeno contraria o que temos como verdades inabaláveis (que só existe o que chamamos matéria, por exemplo), que o fenómeno deixa de existir.

Aconselho-lhe que se informe e não leia apenas a propaganda ateísta-festiva do género da do seu colega James Randi,.

Aconselho-lhe também, se não for muito atrevimento, a leitura deste post:

http://blog-espiritismo.blogspot.pt/2012/10/breve-resposta-fiolhais-houdinis-ca.html

Saudações Cordiais, e logo que possível volte à TV, porque gosto muito de o ver a andar sobre brasas e outras ilusões que o Luís sabe tão bem tornar cenicamente espectaculares.

André Afonso
Anonymous commented on 13-Jul-2013 04:43 AM
It's really a great and helpful piece of info.
I am satisfied that you simply shared this useful information with us. Please stay us informed like this.
Thanks for sharing.
automatic cat feeder
Graciela commented on 11-Dec-2013 09:02 PM


Check out my website :: upholstery cleaning calgary
Madison commented on 03-Jan-2014 04:11 PM
You've superb knowlwdge here.

my homepage The Simpsons Tapped Out Donut Hack
Desmond commented on 04-Jan-2014 11:03 AM
During this lightweight, it eliminates unnecessary repair wants.
Here in this short article, we will present you with some fundamental information on the kind of services they will provide, and if you're trying to find this type on information, you may find it to be quite helpful. Nonetheless technical support and computer service are essentially beneficial.


My weblog; laptop repair vancouver (http://www.aac1899.com/node/315269)

Deixe um comentário




Captcha Image